O sistema de combate a incêndio por hidrantes, sem dúvidas é o principal sistema de proteção a vida humana, atua diretamente no combate a chamas ou resfriamento de locais evitando a sua propagação, a composição de seu sistema é constituído de equipamentos que associados transfere em pressão controlada o fluxo de água de um reservatório até o local da chama ou principio de incêndio.

 

O sistema é obrigatório em edificações com área de construção superior a 750 m2 ou altura superior a 12 m, porem deve ser considerado o tipo de ocupação e grau de risco, o projeto de dimensionamento e instalação só pode ser executado por engenheiros capacitados e devidamente aprovado pelos órgãos competentes, a norma vigente para este sistema é a NBR 13714 Sistemas de hidrantes e de mangotinhos para combate a incêndio, ultima revisão em 2014, seu objetivo é fixar as condições mínimas exigíveis para dimensionamento, instalação, manutenção, aceitação e manuseio. Associado a esta norma existem outras referências normativas como:

 

NBR 5590:1995 – Tubo de aço-carbono com ou sem costura, pretos ou galvanizados por imersão a quente, para condução de fluidos, NBR 5626:1998 – Instalação predial de água fria, NBR 13206:1994 – Tubo de cobre leve, médio e pesados sem costura, para condução de água e outros fluidos.

 

Podemos identificar facilmente os locais que possuem estes sistemas pelas suas característica comuns, observadas em locais onde sua aplicabilidade se faz obrigatória, através dos seguintes componentes.

 

Abrigos: Compartimento, embutido ou aparente, dotado de porta, destinado a armazenar mangueiras, esguichos, carretéis e outros equipamentos de combate a incêndio, capaz de proteger contra intempéries e danos diversos.

 

Hidrante: Ponto de tomada de água onde há uma saída simples ou dupla de válvulas angulares, com seus respectivos adaptadores, tampões, mangueiras de incêndio e demais acessórios.

 

Além de outros acessórios também importantes, que fazem a parte mecânica de conexão entre a mangueira semi-rígida com as respectivas válvulas (registros), este dispositivos são:

 

Esguicho: Dispositivo adaptado na extremidade das mangueiras, destinado a dar forma, direção e controle ao jato, podendo ser do tipo regulável (neblina ou compacto) ou de jato compacto.

 

Chave Storz: é um produto utilizado para acoplar e desacoplar os engates de extintores, hidrantes, e geralmente é fabricado em alumínio ou latão. As mangueiras de incêndio devem conter a Chave Storz como um item de segurança obrigatório

 

Tampão: Construído em bronze tem a aplicação de aplicação fechar as saídas de bombas ou válvulas, evitando a infiltração de agentes externos que poça causar entupimentos na tubulação e estaqueamento do fluido.

 

Mangueiras de incêndio: regulamentada pela norma NBR 11861 são constituídas essencialmente por um duto flexível, composto de fios sintéticos e borracha natural, dotado de uniões, para a correta escolha de um tipo de mangueira de incêndio a ser aplicada, deve-se levar em consideração algumas características de aplicação básicas como a locação de instalação, riscos envolvidos, desempenho esperado (citados em projetos de hidrantes) e resistência à abrasão.

 

Outros sistemas de combate

 

Mangotinho: Ponto de tomada de água onde há uma (simples) saída contendo válvula de abertura rápida, adaptador (se necessário), mangueira semi-rígida, esguicho regulável e demais acessórios.

 

Este sistema se assemelha ao sistema aplicado em hidrantes, cujo a a diferença está no fato de que são montados com base em mangueiras semi-rígidas e diferentes as aplicadas aos hidrantes, o diâmetro (espessura interna) também é diferente, chegando a 25 mm em relação até os 63 mm alcançados nos hidrantes e com vazão de água também inferior se comparada aos hidrantes comuns.

 

A facilidade deste sistema e estar sempre conectado ao seu esguicho, combinado com seu diâmetro e vazão menores, facilita a sua utilização, enquanto os hidrantes comuns possuem peças específicas como detalhado, que necessitam de conhecimentos específicos de montagem e manuseio.

 

A utilização deste sistema pode ser feita por apenas uma pessoa devido a baixa preção, de forma mais rápida de combate a um principio de incêndio, evitando que o mesmo se propague, porem devidos a baixa pressão e volume de água empregado em um incêndio de escala maior o uso do mangotinho pode ser comprometido.

 

O sistema de combate a incêndio e também dotado de outros equipamentos, em muitos casos não visíveis ou de acesso facilitados.

 

Bombas de incêndio e suas características.

  • Principal hidráulica centrífuga destinada a recalcar água para os sistemas de combate a incêndio.
  • Pressurização (Jockey), destinada a manter o sistema pressurizado em uma faixa preestabelecida.
  • Reforço destinada a fornecer água aos hidrantes ou mangotinhos mais desfavoráveis hidraulicamente, quando estes não puderem ser abastecidos somente pelo reservatório elevado.

O sistema possui uma complexidade particular, através de combinações de acessórios ou disposições estratégicas para captação de água, conhecidos como dispositivo de recalque, sua finalidade é auxiliar o corpo de bombeiros no caso de necessidade de reabastecimento ou bombeamento rápido de água, podendo ser dentro da propriedade com as devidas garantias de acesso pelo Corpo de Bombeiros.

 

Além das bombas peça importante, existe também o reservatório de água, que é essencial ao funcionamento do sistema, sem ele não será possível fazer o combate ao incêndio, este reservatório pode ser dedicado ou compartilhado com o consumo regular de água do local, portanto no projeto deve ser apresentado a reserva de incêndio, o volume de água é calculado de acordo com o projeto de combate a incêndio e destina-se exclusivamente a esta finalidade.